Atraso na fala

Por Amanda Amaral, a Doutora Mamãe!

DOUTORA MAMAE REDUZIDA

Mamães e papais,

A linguagem é composta pela compreensão e pela expressão. A compreensão ocorre primeiro, ou seja, a criança ainda não fala, mas já é capaz de entender o que lhe é dito. A expressão pode se dar de várias formas, inicialmente por gestos (como apontar) e após um tempo, pela fala.

Quando a criança começa a falar?

Aos 12 meses, ela fala 3 a 5 palavras. Aos 18 meses, fala em torno de 20 palavras. Entre 18 e 24 meses, fala cerca de 50 palavras e passa a construir frases simples.
Cada criança tem o seu tempo, podendo estar um pouco atrasada ou adiantada em relação à faixa etária, sem que isso signifique um problema.

O atraso na aquisição da linguagem oral é muito frequente na infância e, na maioria das vezes, costuma ser de fácil solução. Além disso, a principal causa de atraso da fala é falta de estimulação. Costumo dizer que falar é uma necessidade e muitas crianças têm suas vontades atendidas sem precisar falar, o que pode atrasar esse aprendizado.
É fundamental verificar se existe compreensão, ou seja, se seu filho é capaz de atender às solicitações feitas e interagir durante as brincadeiras.

O que fazer para estimular a linguagem?

• Conversar de forma clara e correta – evitar usar fala infantilizada ou excesso de palavras no diminutivo. Ao conversar com crianças menores de 2 anos, deve-se falar um pouco mais alto, mais devagar e melodiosamente.
• Ler histórias infantis diariamente – a leitura proporciona um aumento de vocabulário e de possibilidades que enriquecem o conhecimento do bebê. Prefira sempre um ambiente silencioso para esse momento.
• Evitar televisão, tablet e smartphone – nos primeiros 2 anos de vida, evitar o contato em excesso com esses aparelhos, pois já é comprovado que sua maior utilização está associada a dificuldades de aprendizagem. Esses equipamentos não servem como estímulo para a fala, pois não há interação com a criança. Além disso, o cérebro da criança só registra aquilo que ouve claramente, sendo indicado a diminuição do ruído ambiental, como por exemplo, o barulho da televisão.
• Retirar a chupeta – a chupeta pode deformar o céu da boca e alterar a arcada dentária e, consequentemente, dificultar a fala.
• Diminuir as mamadeiras e aumentar a ingestão de alimentos sólidos – a musculatura da fala é a mesma da mastigação, portanto quanto mais a criança mastigar nos horários das refeições, melhor. Evitar trocar as refeições principais por leite ou suco.
• Iniciar na escola – existem propostas pedagógicas que estimulam o desenvolvimento da linguagem. Além disso, a criança será motivada a solicitar o que precisa, pois estará em um ambiente diferente e terá maior convívio com outras crianças.
• Sentar no chão e brincar com a criança – pode parecer uma informação óbvia, mas o óbvio às vezes precisa ser dito. A brincadeira permite uma troca muito importante para o desenvolvimento da linguagem.

⇒ Atenção! Apesar da falta de estimulação ser a principal causa de atraso da fala, não é a única. Por isso, converse sempre com seu pediatra, para que ele reconheça os sinais de alerta e solicite uma investigação, caso seja necessário.

Um beijo,
Amanda

DOUTORA MAMAE IMAGEM

Amanda Amaral é pediatra, mãe do Gustavo e autora do blog Doutora Mamãe, também com uma linda página no Facebook! É um prazer ter você conosco, Amanda!

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook