Os bebês e o álcool gel

Quando somos mães de primeira viagem, ficamos apavoradas com a possível contaminação dos nossos recém-nascidos. Eles saem da maternidade e a gente morre de medo. Já no elevador do hospital, rezamos para não cruzar com alguém gripado. Se algum infeliz tossir, minha nossa, dá vontade de apertar o botão de emergência.

Quando chegamos em casa com o bebê, lavamos as mãos trezentas vezes. Também recorremos ao álcool gel, cuja indústria deve agradecer o apoio das mamães iniciantes. Quando chega visita, principalmente acompanhada de outras crianças, a gente dá aquela olhada, tipo inspeção sanitária, para ver se não tem nenhum nariz escorrendo por ali.

Quando virei mãe de segunda viagem (e de terceira, e de quarta numa tacada só), meu lado neurótico ficou mansinho. Acho até que me curei. E olha que os trigêmeos eram prematuros… Mas a verdade é que a gente aprende a relaxar.

Quando os bebês tiveram alta da UTI, a enfermeira-chefe recomendou: nada de álcool gel em casa, tá? Ela disse que apenas deveríamos lavar muito bem as mãos com água e sabão, assim como as visitas. E só. Mas essa lavação não precisaria a todo momento. Com o tempo, deveríamos deixar para lavar as mãos nas situações recomendadas usualmente, como ao chegar da rua, após ir ao banheiro, após mexer com dinheiro, etc. Dessa maneira, os bebês iriam pegando a imunidade necessária.

Segui à risca os conselhos e não tive problemas. Fui relaxando, relaxando, até chegar ao nível de não rezar mais para Nossa Senhora do Álcool Gel toda vez que meus filhos lambem o chão. Sim, eles adoram fazer isso. E não passe com uma havaiana perto deles, senão “nhac”! Pois é… Também adoram roer um chinelo. É lógico que não deixo. Todos as sandálias da casa foram escondidas. Mas às vezes a gente pega a turma no flagra…

Continuo sendo limpinha, viu? Lavar as mãos aqui em casa é regra. Prezo muito pela higiene da galera, mas sem neura. Como disse a enfermeira, um pouco de vitamina “S” às vezes é um santo remédio para a saúde física das crianças e a saúde mental das mamães.

Imagem: www.freeimages.com

Leia também: 

VITAMINA S: a primeira prova de fogo com os trigêmeos

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

45 Comments

  1. Acho que sou a primeira mãe de primeira viagem seu neuras. Minha filha adora chão e todas essas coisas. Não tenho qualquer exagero de limpeza, já falo logo vitamina ‘s’. Estamos com 9 meses e nunca teve nada. Amém

    Post a Reply
  2. Comprei um super hiper mega tubo de álcool gel, que acabamos usando na limpeza dos móveis, para tirar o pó. Em casa, água e sabão neutro. Na bolsa, um frasquinho de álcool para quando vamos para praça ou algo assim…

    Post a Reply
  3. Neura é coisa de doido…rsss
    As maes mais neuroticas com limpeza e proteçao excessiva com os filhos sao as q tem filhos com mais problemas de saude!

    Post a Reply
    • Pois aqui em casa o amor pelos animais é ensinado desde a barriga!
      Minha filha chama nossa cachorra de melhor amiga dela, e eu me orgulho em ver que tudo q planejei para educaçao da minha filha vem dado certo.
      Quando cheguei do hosp com ela recem nascida primeira coisa que fiz foi apresenta-la a cachorra e sempre fiz questao de deixar as duas juntas!

      Post a Reply
    • Rita Samora q amor aqui tmbm com cachorro pra cima e pra baixo brincam bastante 🙂

      Post a Reply
    • Nao ha relaçao mais pura e verdadeira do que do homem com um cao!

      Post a Reply
  4. Tudo em excesso faz mal. Até mesmo essa neura com bebe pequeno. Ainda bem que eu sempre fui tranquila Com meus bebês.

    Post a Reply
  5. Com 4 filhos, nunca fui neurótica. A primeira já nasceu chupando o dedo, os outros 3 vieram no embalo… quanto mais preocupação, mais fios de cabelos brancos!

    Post a Reply
  6. Sou mãe de primeira viagem e acho q não sou mt neurótica! Faço basicamente oq foi dito aí. ..

    Post a Reply
  7. Nem me fale… Fiquei com neura tb, pq meu filho teve bronquiolite com 2 meses, e olha que eu não saía com ele, recebeu visitas porém ninguém gripado, enfim, teve bronquiolite, destino? Acredito que sim… Não tem outra explicação kkkk, mas agora ainda tenho um pouco de neura, porém bem menos…

    Post a Reply
  8. Aqui em casa essa sempre foi a regra… Na primeira e segunda viagem! Nada de neuras…

    Post a Reply
  9. Tá e as visitas que não lavam as mãos? Aquelas que vieram de ônibus e sabemos que as mãos estão muito sujas? Eu achava mais prático pedir pra passar álcool em gel do que pedir pra lavar as mãos.

    Post a Reply
  10. Kkkkkkk estou bem neura viu xom meua trigêmeos kkkk , adorei esse relato vou tentar melhorar .

    Post a Reply
  11. Os 2 primeiros meses do bebê tem Q ser sim extremamente delicados com a limpeza e a prevenção de contato com pessoas doentes. Depois disso pode ir relaxando aos poucos. Hj minha terceira bebê está com 10 meses e não tenho mais neurose nenhuma. A não ser claro evitar Q ela tenha contatos com quem sei Q está doente.

    Post a Reply
  12. Me identifico na parte “inspeção sanitária” kkkkk como pode, né? Preciso deixar de ser neurótica! Ainda mais que meu bebê tem 7 meses já! Hahaha

    Post a Reply
  13. Eu uso depois que vou ao banheiro e quando chego da rua. Minha neura maior é com gente doente e cachorro

    Post a Reply
  14. Nossa tudo que eu tinha planejado pra chegada do Enzo em relação a limpeza e álcool gel qse não rolou.Isso pq as visitas nunca usaram e eu nunca tive coragem de pedir,só ficava de olho. Já com meu cachorro fui liberando a aproximação aos poucos pq ele eh um filhote bem estabanado, porém td foi se ajeitando e a neura passou kkkk

    Post a Reply
  15. Natalia Mirisola Sacomori Cortelline e Felipe Cortelline aqui no mãe pirada tem muita coisa legal… beijos nos 3!

    Post a Reply
  16. Desculpa ai. Mas contato com animais e gente q e visível que as mãos estão sujas não rola! !!!! Chega as ynhas tão pretas de sujeira. Na boa tem ym povo que nao se toca!!!!

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook