Beto Carrero: dicas para uma viagem inesquecível

Este post é pra você que ainda está na dúvida se vale à pena ou não ir ao Beto Carrero, seja pela idade do seu filho, pelos poucos dias de folga de que você dispõe ou por qualquer outro motivo. A resposta é sim, vale muiiiito à pena!

 

Fui pela primeira vez em 2008 com a mais velha e voltei agora em 2017 com ela e com o trio. Se há nove anos o parque já era maravilhoso, agora então ficou melhor ainda, pois é um empreendimento que deu certo de verdade e virou um orgulho para nós, brasileiros. É a nossa Disney!

 

Tudo muito organizado, limpo e seguro. Parece realmente um mundo encantado… E ainda há a parceria com a Universal e a Dreamworks, que trouxe para o parque atrações e personagens como o Shrek, a turma do Madagascar e o show de carros Velozes e Furiosos.

 

Resolvi trazer as dicas em tópicos, esclarecendo as principais dúvidas que eu mesma tinha antes de viajar.

 

  • COM QUE IDADE MEU FILHO VAI APROVEITAR MAIS?

 

Gente, sou suspeita pra falar, porque acho que devemos viajar com criança de qualquer idade, bastando adaptar o roteiro à faixa etária. Vi pais com bebês de colo, porque eles mesmos (os adultos) queriam curtir o parque! E que mal há nisso? Nós também merecemos, não é mesmo? No meu caso, levei a mais velha pela primeira vez com três anos e meio, a mesma idade com que levei os trigêmeos desta vez. Eles curtiram muito. É claro que ficaram mais na área para crianças pequenas, mas por todo o parque há distração para eles. Sem falar dos shows e dos personagens, que agradam a todos. Já a mais velha, hoje com 12 anos, ficou curtindo as atrações radicais.

 

  • QUANTOS DIAS SÃO NECESSÁRIOS PARA CONHECER O PARQUE?

 

Um dia é pouco para conhecer tudo. O ideal são dois dias inteiros. Eu, exagerada, reservei três dias para curtir o parque, mas ao fim do segundo dia já havia ido a todas as atrações do meu roteiro. Então utilizamos o terceiro dia para conhecer o parque Unipraias, em Balneário Camboriú, que vale muito à pena também.  Portanto, se você tiver apenas um fim de semana para curtir o Beto Carrero, pode ir tranquilamente. Vários amigos meus foram na sexta à noite e voltaram na segunda de manhã (para ter dois dias inteiros, sábado e domingo). Fora de temporada, o parque abre de quinta a domingo, então os dias mais vazios são quinta e sexta. Já nas férias escolares, abre todos os dias, sendo recomendado também escolher os dias de semana, mais vazios. Fique de olho no calendário do parque, para saber se o funcionamento estará normal na data da sua viagem!

 

  • EM QUAL ÉPOCA HÁ MENOS FILAS?

Na primeira vez fomos no feriado de Corpus Christi, em junho. O parque não estava tão cheio e fizemos tudo com tranquilidade. Desta vez fomos nas férias de julho (segunda quinzena). Eu estava morrendo de medo das filas intermináveis, porque se criança de três anos não tem paciência de esperar, imagina três juntas!!! Por isso, escolhemos visitar o parque na segunda e na terça-feira. Estava cheio, mas não lotado, e não havia tanta fila como esperávamos encontrar! Foi ótimo e voltaria tranquilamente nas férias de julho. Agora, se você tem disponibilidade de viajar fora de temporada, é o melhor a fazer! O ideal mesmo seria visitar o parque numa quinta e numa sexta-feira qualquer, longe das férias e dos feriados. Mas se, como eu, só puder viajar na alta temporada, vá assim mesmo porque compensa!

  • BETO CARRERO NO INVERNO

Eu, particularmente, prefiro viajar para parques em épocas de frio, porque isso ameniza o sufoco de quem precisa empurrar carrinho ou dar colo para criança. Esperar em filas ao ar livre também é bem menos penoso com tempo fresco.  Penha fica no litoral catarinense, então não é aquele gelo de serra. No inverno, faz frio mas o sol aparece cedo e o dia costuma ficar lindo. Então, durante o dia é muito agradável. Quando o sol se esconde, por volta das 17h, começa a esfriar de verdade, mas aí é só aproveitar algum show das 18h e ir embora em seguida, porque o parque fecha logo depois (os brinquedos fecham 18h). Nessas férias, pegamos uma semana de frio intenso no Sul, quando Santa Catarina apareceu em todas as chamadas do Jornal Nacional! Realmente fez muito frio, mas as crianças estavam bem agasalhadas e ninguém deu um espirro sequer! De qualquer maneira, leve casaco pesado (aqueles acolchoados do tipo “corta-vento”), touca, cachecol, luva e meia-calça grossa para as crianças. Talvez você nem use isso tudo durante o dia, mas provavelmente usará na hora de ir embora à noite. Também leve capa para carrinho, porque isso nos ajudou muito, já que protege da chuva e do vento. No caso do carrinho de gêmeos, não encontramos capa, então levamos um plástico transparente bem grosso, que jogamos por cima. Foi a salvação, pois pegamos chuva em parte do primeiro dia. Eu estava meio apavorada, pois fazia pouco mais de um mês que o Vitor havia saído da UTI depois da encefalite, mas os médicos liberaram e criei coragem para ir. Ainda bem, porque ele aproveitou muito e não tivemos qualquer problema com o frio! Não tenha medo das baixas temperaturas: agasalhe a turma e vá! Repito: durante o dia, a gente nem sente! Quando o sol se esconde, esfria bem, mas é tranquilo se a turma tiver agasalho corta-vento.

 

  • BETO CARRERO NO VERÃO

Nunca fui no verão, mas andei pesquisando para este post. Me disseram que a vantagem do calor é que você pode curtir também as praias, pois o litoral catarinense é lindíssimo. Então há muitas outras atrações para serem visitadas e você pode esticar a viagem. No entanto, fui alertada de que na altíssima temporada (tipo janeiro, carnaval, etc) a cidade fica lotada e o parque também, portanto as filas ficam bem maiores (e esperar no calor não é nada agradável). Caso consiga fugir do período de férias, será o ideal. No entanto, se só tiver esse período, vá, compre um fastpass (próximo tópico) e seja feliz!

 

  • COMPENSA COMPRAR FASTPASS?

 

fastpass é uma pulseirinha que permite o ingresso dos visitantes numa fila rápida nas atrações mais concorridas. Você compra à parte, fora ou dentro do parque. O valor é quase o mesmo do ingresso para um dia, então não é barato. Mas eu acho que compensa muito, principalmente para quem gosta das atrações mais radicais, permitindo o máximo do aproveitamento do seu tempo, já que provavelmente serão apenas dois dias de parque. Não economize nessa hora. Mas atenção: a maioria das atrações com fastpass têm restrição de altura, então só compensa comprar a pulseira para a criança que tiver mais de 1,20 m. Por isso, não comprei para o meu trio, que tem 1,06 m. Além disso, os trigêmeos puderam nos acompanhar gratuitamente nos brinquedos com fastpass (como a montanha encantada Raskapuska), porque eu, o papai e a mais velha tínhamos as pulseiras.

  • ATRAÇÕES PAGAS COMPENSAM?

Algumas atrações do parque são pagas e compensam cada centavo! É o caso do show Excalibur, acompanhado do almoço (e na alta temporada há sessões extras com jantar). O duelo medieval, com muita animação (e barulheira), levou as crianças ao delírio. Muito divertido. O prato servido é simples, mas farto e saboroso: arroz, legumes, batata frita, bife em tirinhas e um pedaço de frango. Crianças menores de quatro anos não pagam, então eu, o papai e a mais velha rachamos o prato com cada um dos trigêmeos. A refeição deu tranquilamente para um adulto e uma criança de três anos.

Também pagamos à parte a atração Portal da Escuridão, que vale muito à pena para crianças maiores e adolescentes que gostam de terror. Entram grupos pequenos aos poucos (umas 7 pessoas) e você percorre vários cenários com personagens vivos que te dão susto no meio do caminho. Eles são proibidos de tocar nos visitantes, mas quase matam a gente do coração com seu visual aterrorizante. Fui com a mais velha (o papai ficou com o trio) e morri de medo. Até os homens que estavam no nosso grupo estavam assustados. Um adolescente que estava atrás de mim foi sem a mãe. Resultado: tive que dar a mão para a minha filha e para ele também…kkkkkk Eles quase esmagaram meus braços! Vale muito à pena!

 

  • ALIMENTAÇÃO

Há avisos de proibição da entrada de visitantes com alimentos, mas precisei levar por motivo de saúde. Levamos sanduíche com pão bem molinho, pois o Vitor está com paralisia facial e ainda não consegue mastigar nada duro. Também levamos banana, pois é a fruta que ele consegue comer. E ainda garrafa d´água, pois não há bebedouro no parque. Eu já estava preparada para me justificar na entrada por causa do problema de saúde dele, mas ninguém perguntou.

Na praça de alimentação, há os mais variados restaurantes, incluindo comida a quilo com uma enorme variedade. Os preços são um pouco salgados, mas a comida é muito boa. Então a gente almoçava moderadamente na praça de alimentação, mas deixava pra jantar nos restaurantes das pousadas em frente ao parque, onde o buffet sem balança era apenas R$ 18 (e criança não paga!!!). Era lá que comíamos um pratão de arroz, feijão, farofa, legumes e carne, para repor as energias para o dia seguinte! Muito barato e farto!

 

  • COMPENSA LEVAR CARRINHO DE BEBÊ?

 

Eu não me imagino num parque sem carrinho, então acho sim que você deve levar ou alugar por lá. As distâncias a serem percorridas no parque são grandes, principalmente para as crianças e às vezes você precisa apressar o passo para não perder o horário de algum show, por exemplo. É nessa que o carrinho te salva! E ainda tem a vantagem de ser um local confortável onde seu filhote pode dar uma cochilada ou apenas descansar. Funciona até como cadeira para a turminha na hora da fila (esperar sentado é bem melhor, né?). No meu caso, é imprescindível porque eu jamais conseguiria controlar meu trio enlouquecido no parque! No carrinho, eles estavam seguros, sob o meu controle! E também no caso de frio ou chuva, nossos filhotes ficam abrigados (leve a capa!!!). Então leve seu carrinho ou alugue um por lá!

 

  • QUAIS SHOWS SÃO INDICADOS?

Viajamos com crianças de três anos e adolescente de 12 e posso garantir que todos os shows são indicados para todo mundo. O Madagascar Circus Show é bem curto e mais voltado para crianças pequenas. Mas a mais velha também curtiu pois ela adora o Rei Julian e seu rebolado! O Velozes e Furiosos é mais voltado para nós, pais, e para crianças maiores, pois é um show radical de acrobacias com carros e motos. É bem barulhento e tem cheiro de pneu queimado, mas vale muito à pena, pois é um espetáculo único no Brasil! O trio curtiu e bateu palmas. O Guilherme chorou um pouquinho por causa do barulho, mas logo se acostumou. O Sonho do Cowboy, um musical de altíssimo nível e muito divertido, é lindo, lindo, lindo! É para todas as idades. O figurino, a maquiagem, o cenário, a afinação dos atores, tudo é maravilhoso! Foi o que eu mais gostei! Nada a perder para os musicais da Broadway! E, como já falei acima, o Excalibur vale cada centavo pago! É uma atração barulhenta, pois há torcida e batucada na mesa, mas as crianças adoraram. Tem luta, mas é tudo muito light. Não deixe de ir!

 

  • ONDE SE HOSPEDAR?

 

Da primeira vez, fomos em excursão e ficamos hospedados num hotel em Balneário Camboriú, a aproximadamente uma hora de Penha, cidade onde fica o Beto Carrero. Então desta vez, optamos pelo inverso. Ficamos em Penha, numa pousada simples e ótima, localizada a cinco minutos do parque. Foi bem melhor, pois viajamos apenas para ir ao parque. Há várias pousadas familiares por ali, limpíssimas, com preço justo e café da manhã farto. Muitas delas servem jantar bom e barato a partir das 18 horas, o que é perfeito para fechar o dia com chave de ouro. Encontramos a nossa pousada olhando as avaliações no Tripadvisor.

 

Então a dica é a seguinte: se você viajar só para o parque, indico pousadas locais, pois dá para ir a pé (e não precisa pagar o estacionamento). Provavelmente você terá que atravessar a rodovia que passa na frente do parque, mas as pistas são separadas por um canteiro e dá para ir para o outro lado tranquilamente, inclusive empurrando carrinho de bebê, como nós fizemos. A vovó é idosa e atravessou numa boa. Na volta, uma pequena multidão faz o caminho inverso e não é isolado. Só no dia em que choveu pegamos um táxi para não molhar as crianças e a corrida foi R$ 10,00.

 

No entanto, se você for fazer uma viagem maior, para curtir o litoral catarinense, sugiro que fique em Penha apenas nos dias de parque e depois se hospede em outro local mais próximo das demais atrações do seu roteiro (como Balneário Camboriú, por exemplo).

 

  • TRANSLADO

Como somos uma família atípica, não cabemos em carros tradicionais. Portanto, não compensaria alugar dois carros ou um carro maior, com locação mais cara, já que passaríamos o dia inteiro no parque. Optamos por pegar dois táxis indicados pela pousada, pertencentes a um casal muito simpático, o Diogo e a Clarice (Whatsapp 47 9197-7860).  O traslado do aeroporto de Navegantes até a pousada em Penha sai em torno de R$ 60 por carro (ida e volta para o aeroporto sai R$ 120,00 cada carro). O bom é que eles têm dois assentos de elevação para crianças, então levei apenas um e o trio viajou em segurança nas cadeirinhas. Quando fomos a Balneário Camboriú, também optamos pelo táxi. Eles nos deixaram de manhã no parque Unipraias e nos buscaram no fim da tarde. O traslado Penha-Balneário Camboriú saiu por R$ 90 (ida e volta R$ 180 por carro). Mais uma vez, as três crianças viajaram com as cadeirinhas e eu fiquei tranquila (pois sou neurótica com segurança em carro). Além do conforto, foi um prazer conhecer um casal tão simpático e ouvir histórias bacanas no desenvolvimento local com a chegada do parque!

 

Bom, essas foram algumas dicas para você curtir dias incríveis com a sua família. Muito bonito ver essa maravilha de parque, criado por um brasileiro admirado por todos! Sugiro que você visite o site do parque e conheça cada uma das atrações encantadoras! Se há alguma dúvida em ir ao Beto Carrero, a minha dica é VÁ!!! Um trabalho lindo, que merece ser prestigiado por todos nós!

 

Agradecemos a todos que nos receberam tão bem! Um beijo especial no pessoal da assessoria de imprensa do parque! Foram dias inesquecíveis e já estamos com saudades! Até a próxima!

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook