Introdução Alimentar, por Camila Granato


comidinhas da maite

Por Camila Granato

Ei pessoal!

Inaugurando o nosso espaço aqui no mãe pirada, eu vou falar um pouquinho sobre introdução alimentar.
 Sabemos que o que não falta hoje no supermercado são potinhos e mais potinhos dizendo que são ideais para bebês e que têm todos os tipos de nutrientes.
Se você pensar em praticidade, pegar uma latinha e abrir, pode parecer mais fácil do que oferecer uma fruta, por exemplo. Eu não penso assim. Mas antes de qualquer coisa, não sou nutricionista. Mas não acredito que o alimento industrializado possa ter as mesmas vitaminas e principalmente o mesmo sabor. E por isso não recomendaria para a introdução alimentar. Pelo sabor alterado.
 Depois de muito ler sobre o assunto, resolvi fazer um programa de 14 dias, que coincidiram com a minha volta ao trabalho. A meta era que, depois desse período, a pequena já tivesse experimentado novos sabores, afinal até então ela só conhecia o mamá! Se vocês pesquisarem, vão encontrar dezenas de documentos e artigos sobre introdução alimentar que recomendam um mix de frutas e sucos, logo assim de cara. Eu fiz diferente. Foi um sabor de cada vez.
 No primeiro dia, nós iniciamos com uma fruta de fácil digestão: mamão amassado com o garfo. Pouca coisa, meio mamão. Ela comeu algumas colheradas e deixou pra lá. No segundo dia o que eu fiz foi repetir a fruta. Mas porque repetir? E por que dar só uma fruta de cada vez?
 Por dois motivos:
1º ter certeza que ela não é alérgica este alimento. Se ele estiver misturado a outros alimentos, como o mix de frutas, você vai ter mais dificuldade de descobrir isso.
2º entender que ela realmente não gosta desse alimento.
Passado o mamão, apresentei a melancia. Embora não seja de fácil digestão, é uma fruta doce, o que agrada muito o paladar de bebês. Repeti algumas vezes.
image1

Maitê e sua primeira melancia

 

Depois de 7 dias de frutas e quatro frutas no cardápio, partimos para os legumes. Preparei todos eles sem sal, apenas saborizados com azeite, cebola e alho. No primeiro dia eu fiz uma batata baroa bem cozidinha, amassei com o garfo, mas ela ficou super espessa. Percebi que ela não recebeu bem e eu vi que tinha que dar misturas mais cremosas. E assim deu super certo.
Finalizados 14 dias, ela já tinha 4 frutas e 3 legumes no cardápio e estaria mais preparada para conhecer as papinhas com mix oferecidas pela creche. No primeiro dia da adaptação já almoçou um pratão. E até hoje tem um ótimo apetite. E vocês? Como fizeram?
 receitinhas da Maitê
E uma recetinha que eu posso passar pra vocês que eu uso desde introdução da alimentar da Maitê é a bananinha quente com aveia e canela. Anota aí.
Ingredientes:
1 banana madura (pode ser prata ou d’água, mas a d’água é mais doce)
1 pitadinha de canela
1 colherinha de chá de aveia fina
Como fazer:
Corte a banana em rodelinhas e leve ao microondas (isso mesmo mãe, microondas) por 35 segundos.
Tire a banana do microondas e com ela ainda bem quente, é a hora de amassar com um garfo e misturar a canela e a aveia.
Se a banana não estiver muito madura, pode ser que você tenha que colocar um pouco de água filtrada pra deixar a papinha mais cremosa.
Ofereça ainda morna!
Acreditem, faz sucesso até hoje aqui em casa!
Um beijo e até terça-feira!
Camila Granato é a titia do quarteto fantástico da Mãe Pirada e mãe da Maitê, de 1 ano e 8 meses. Jornalista apaixonada por gastronomia, está concluindo o curso profissionalizante de auxiliar de cozinha pelo Senac.

Quer falar com Camila Granato? 

Escreva para comidinhasdamaite@maepirada.com.br

Você também vai curtir:

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

4 Comments

  1. Adorei as dicas da mamãe da Maitê! A introdução alimentar com minha mais velha foi super difícil! Qnd chegar a vez do Rafael vou tentar dessa forma! Gostei!

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook