Mães chatas e seus filhos perfeitos




Mãe chata é aquela que tem o filho mais perfeito, mais calmo, mais comportado, mais inteligente, mais tudo. Os bebês delas sorriem primeiro, engatinham primeiro, andam primeiro e, affffff, dormem a noite inteira. Comem toda a papinha, mamam toda a mamadeira e, afffffff, não choram.

Não vomitam, não golfam, não engasgam, não estranham. Não estragam brinquedo, não se sujam e não enfiam o dedo na tomada, nem no nariz. Quando crescem, ficam ainda melhores. Só tiram nota dez, são obedientes, independentes, adoram ir a exposições de arte e comem comida japonesa sem precisar de ajuda. Adultos, têm os melhores empregos, os melhores salários, as melhores famílias e os melhores filhos. E aí começam as avós chatas.

Uma mãe chata jamais admite os defeitos do filho. A culpa é da professora, do coleguinha, do mundo, menos dele. A mãe chata vira bicho ao primeiro sinal de crítica ao filhinho. Me lembrei da Dona Florinda, do Chaves! Geralmente, são as encrenqueiras que, mais para frente, vão prolongar as reuniões de pais da escola com seus questionamentos polêmicos e inúteis. São as que colocam o dedo no nariz da professora, da diretora ou de quem quer que atravesse seu caminho.

Quando grávidas, são as gestantes ativistas que discutem o melhor parto na sala de espera do médico, como se fossem as donas da razão. Não sentem nada na gravidez, não têm pressão alta, não engordam, não enjoam, não incham. Comem flores, bebem perfume e ouvem música clássica. Tiram onda com o filho que ainda nem nasceu.

As grávidas chatas têm tempo de sobra para se envolver em polêmicas. Lêem tudo e mais um pouco sobre maternidade. Sabem até o nome científico da remela. Têm explicação para tudo. Acham que estão prontas para aplicar sua vasta teoria.

Se você conhece alguém assim, sabe muito bem do que estou falando. Como lidar com elas? Se você descobrir, por favor me avise. Eu utilizo o melhor método que encontrei até agora: ligar o automático. A cada respirada dela, complete com um desinteressado “Ah Hamm”. Nunca, nunca tente imitá-la, porque seu filho jamais chegará aos pés do filho dela e isso irá virar uma bola de neve.

Agora, se você se reconhece como uma mãe chata (isso é muito raro, pois a maioria não percebe), procure reavaliar suas atitudes, pois são fortes as chances de prejudicar seu próprio filho, criá-lo mimado e sem defesa para o mundo. Caso você tenha apenas alguns momentos de mãechatice, pense mais e fale menos – mesmo que você tenha uma pontinha de desconfiança de que seu filho seja um superdotado, o próximo Mozart ou a reencarnação de Buda.




Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

14 Comments

    • Vanessa Tolentino, esse comentário vai me arrumar saia justa, mas vaaaaleeeeeee simmmmm…kkkkkk

      Post a Reply
    • De tempos em tempos minha sogra posta no face do meu marido coisas do tipo.. meu orgulho. .ou.. minha vida.. .e eu o apelidei aqui em casa de Tesouro. .Hahahaha. .seu post veio muito a calhar. ..

      Post a Reply
      • kkkkkkkk Obrigada! Fico aqui imaginando se vou pagar com a língua quando eu for sogra…rs

        Post a Reply
  1. Adorei, Paolita! Mas vc me deixou c a pulga atras da orelha… Terei que buscar no Google o nome científico da remela…

    Post a Reply
  2. Caroline Reis, Tamires Juliano, Alessandra A. Rodrigues, não dá pra contar nos dedos das mãos não…rs

    Post a Reply
  3. Minha mãe é assim com o meu irmão, isso é chato de mais, pra ela ele é o santo o anjinho da história. Kkkkkkkk e não é ciúme de irmã não mais minha mãe passa do limite com ele

    Post a Reply
    • Não pooooode, né? Tomara que eu não fique assim com os meninos…kkkkkkk

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook