Queda de cabelo na gravidez

Sempre ouvi muitos relatos de mamães, estranhando a queda de cabelo durante a gravidez. Comigo, o problema aconteceu no pós-parto da minha primeira filha e também dos trigêmeos. Levou meses para normalizar.  Ao tomar banho, eu ficava assustadíssima com a quantidade de fios que saíam no pente.

Segundo a Dra. Elizete Kaffer, especialista em tricologia, ramo da medicina que trata de distúrbios capilares, pequenas mudanças nos níveis hormonais, alergias alimentares, carências de vitaminas, entre outros fatores, podem promover  alterações nos cabelos. “Essas alterações devem ser analisadas sistemicamente e nunca tratadas somente com loções ou xampus até a correção da causa, devendo ser utilizadas como marcador de saúde metabólica da gestante e do feto”, afirma.

Durante a gestação, espera-se uma melhora clínica de todo o corpo, inclusive da pele, cabelos e unhas devido à liberação dos chamados “hormônios embelezadores”. “Neste período, o ciclo de crescimento capilar, normalmente composto de 80% de fios, 5% em repouso e 15% em queda, se estabiliza na primeira fase, promovendo aumento do volume e otimização capilar em 20%”, afirma a especialista, que elaborou um quadro muito legal sobre mitos e fatos.

 

MITO
Posso lavar os cabelos no pós-parto?

Sim. Lavar os cabelos não altera o sangramento, a pressão ou amamentação, conquanto que seja em temperatura adequada e com auxílio de um assento para evitar movimentos abruptos, dor e queda de pressão.

Queda é sintoma de estresse?

 

Não. A queda pode estar relacionada com o estresse, mas nem sempre é o fator causal. Toda queda de cabelo, principalmente na gestante deve ser cuidadosamente investigada e tratada de maneira direcionada para não mascarar uma doença sistêmica metabólica (anemia, alterações hormonais etc.).
FATOS
O cabelo cresce mais durante a gestação? Verdade.  O cabelo possui três fases de crescimento: 80% dos fios crescendo (fase anagena), 5% em repouso (catagena) e 15% a 20% caindo (telogena). Na gestação, pela ação dos hormônios progesterona e HCG, 100% dos fios entram na fase anagena, que corresponde ao crescimento ativo do cabelo e que dura de três a seis anos, otimizando assim o crescimento, volume e densidade capilar.
Lavar os cabelos com água quente durante a gestação é prejudicial? Verdade. A água quente tira dos cabelos a proteção natural e pode promover o aparecimento de bolhas internas (bubble-hair), deixando-os mais fracos.  Além disso, dilata os vasos sanguíneos, causando  queda da pressão e mal estar, principalmente em gestantes que já têm a pressão mais baixa. Inclusive, não é recomendável água quente em qualquer período para a saúde dos cabelos.
Pintar o cabelo faz mal para a saúde do bebê? Sim e é prudente evitar. Apesar de não existirem estudos científicos em gestantes por motivos óbvios, os efeitos tóxicos do uso de amônia e metais pesados são sabidamente conhecidos. O contato, principalmente no couro cabeludo e região próxima do fio pode ser tóxico e prejudicial ao feto. As tinturas sem amônia, xampus tonalizantes e hennas também possuem substâncias de toxicidade duvidosa. Por serem aplicadas no couro cabeludo, devem ser evitadas.
Existe risco para a saúde do bebê o uso de permanentes e alisamentos? Sim. Pelas leis brasileiras, o formaldeído não pode ser utilizado como alisante em produtos autorizados pela ANVISA, apesar disso o formol e o hidróxido de potássio são substâncias que podem ser encontradas nos produtos para alisamento, potencialmente tóxicas e que podem ocasionar desde baixo peso até malformações fetais.
NEM MITO NEM FATO
Tinturas e tratamentos capilares durante a amamentação podem prejudicar a qualidade do leite?

 

Depende. A utilização de produtos naturais, sem amônia ou metais pesados, em curto período de tempo, aplicados corretamente, longe da raiz e do couro cabeludo e longe da amamentação é mais aceitável. Já os alisamentos químicos e permanentes devem ser evitados durante todo este período, pois o potencial de absorção materno e  contaminação do leite não é conhecido, podendo ainda acarretar sintomas respiratórios e alérgicos à mulher que amamenta (nutriz).
Dra. Elizete Kaffer

Dra. Elizete Kaffer

FONTE: Dr. Elizete Kaffer, responsável técnica da Clínica Shalon. Médica dermatologista com título de especialização pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Tricologista, especialista em medicina capilar, pós-graduada em Medicina Estética e Cosmiatria pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

67 Comments

  1. Até evito pentear os cabelos, fico frustrada, é impressionante a quantidade que cai. A sensação é que irei ficar careca. . Rsrs meu bebê já está no sexto mês. .

    Post a Reply
    • Caracas, foi mesmo…dia desses estavamos falando de queda de cabelo durante a após a gravidez! Ainda está esperando pra cortar seu cabelo, né?

      Post a Reply
  2. Somem eu passei por isso! Exatamente na mesma ordem ufa ainda bem que já superei, cheguei a ficar em depressão, comecei com terapias psicológicas pq se não ia parar no pinel agora posso rir, pronto! Passei por essa fase.

    Post a Reply
  3. O meu no pós parto caiu muito, pior foi quando começou a nascer, aqueles cabelinhos espetados. Vamos ver quando nascer o próximo em janeiro…

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Links da semana | Mãe Pirada - […] Queda de cabelo na gravidez […]

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook