Relato de parto, por Fatima Rodrigues

Oi, me chamo Fátima Rodrigues sou mamãe do Arthur e também gostaria de compartilhar meu relato com vocês. Bom foi no dia 17/07/2014 às 6:40 que  veio ao mundo a razão do meu viver, a pessoa que me fez acreditar que Deus me queria aqui, pois realizou um milagre em minha vida!!! Digo isso devido a minha gravidez que foi um caso inexplicável.

Bem vamos do começo. Entrei em trabalho de parto dia 22/04/2014, isso mesmo 4 meses antes da data prevista!!! Que era dia 13/08/2014, começou com um sangramento que me preocupou e me levou ao hospital, chegando lá a obstetra me examinou e constatou 2 cm de dilatação.

Eu estava perdendo meu bebê, pois com 22 semanas de gestação em uma cidade que não tem UTI (moro no interior de Minas Gerais) meu príncipe jamais sobreviveria. Eu nem tinha confirmado o sexo ainda era muito pequeno não tinha nem 500g.

Pois bem, fui transferida para uma cidade da capital na esperança de me fazerem uma cerclagem uterina, que não foi feita. Alegaram que, como era o primeiro filho, o SUS não fazia. Eu deveria ter o histórico de 2 abortos para fazerem, tive que ouvir isso.

Me deram alta. Voltei para minha cidade, mas eu sabia dos meus riscos e não queria perder meu filho. Tomei a decisão de ir para casa de uns familiares em outra cidade na qual havia maternidade com UTI. Foi a coisa mais certa que fiz.

Tive um acompanhamento com um anjo de obstetra que nunca desistiu de nós. Fiquei de cama, só levantava para ir ao banheiro, dependendo de cuidados de parentes, para não fazer esforço e a dilatação não aumentar. Tinha consulta semanal e, em média de 15 em 15 dias, eu dilatava mais um pouco. Passou para 5 cm,7cm, 9 cm… e ele ia só crescendo e pegando peso.

Eu não desistia, fiz uma dieta para ele pegar peso rápido, pois ele nasceria prematuro, comia até sem aguentar, muita fruta, legumes. O milagre foi tanto que só com 9 cm de dilatação fique 15 dias. Foi até engraçado porque quando estava com 9 cm me internaram achando que ia nascer.

Só no pré-parto fiquei mais que 24h. Depois, me tiraram de lá porque eu não sentia nada. Todas entravam lá com dor e saíam para sala de parto e eu nada. Estava lá quietinha, deitada e assustada. Aliás nunca senti uma dorzinha sequer, dilatei isso tudo sem dor.

Após 5 dias internada me mandaram para casa, pois ainda estava com 35 semanas e não podiam induzir. Os pediatras não deixaram pois ainda era prematuro, apesar de estar super saudável, com mais de 2kg. Pra falar a verdade, queria induzir, já não aguentava mais ficar de cama e longe do marido. Ele não podia ficar comigo pois trabalhava e ainda me deram alta com a condição de ir na maternidade todos os dias para avaliação, todo dia um obstetra diferente fazia o bendito toque para ver como estava, eles falavam nossa estou sentindo a cabecinha dele, eu dizia “vai nascer doutor (a)?” – Sim vai nascer, mas ele não decidiu que dia ainda.

Fui a atração da maternidade todos comentavam: – ela tá com 9 cm já e o bebê não nasce. Enfermeiros, pediatras, obstetras todos não aceitavam naquilo era inacreditável. Eu podia sentir ele entre as minhas pernas, estava ruim até para andar, sentar. Mas quando completei 36 semas e 1 dia minha bolsa rompeu de madrugada, fui igual filme, achei que era xixi, mas não parava de sair. Muita água mesmo.

Fomos às pressas para maternidade pois o medo dos meus familiares de ele “escorregar” por entre as minhas pernas era grande. Também com 9 cm já só faltava mesmo a bolsa romper. Quando cheguei a moça da portaria já mandou eu entrar direto pegou uma cadeira de rodas, mas eu recusei, já conhecia todo o hospital e fui andando tranquilamente sem sentir dor alguma só derramando água por todo corredor e contando todos na maior felicidade: “Agora vai, a bolsa rompeu!!!.

Cheguei muito ansiosa para tê-lo nos braços, mas ainda tive que esperar, pois não sentia contrações. Até que colocaram no soro. Aí o bicho pegou. Doía mesmo!!! Uma tia me acompanhava e chamava a médica a cada gemido meu!!

Com medo dele nascer ali no pré-parto. Mas dava 15 cm e não dava os 10cm!!!  Foi uma hora para ter dilatação total. Quando ela falou: – Agora sim 10cm vamos para sala de parto? Já levantei querendo ir depressa, aí ela me colocou na tal cadeira de rodas… chegando lá foram mais três ou quatro contrações e logo já ouvia o chorinho do meu pequenino.

Nasceu com 2,470kg e 46 cm. Nota Apgar 9, excelente para um prematuro de 36 semanas. Foi direito para o quanto comigo, já chegou procurando meu peito e ficou quase uma hora grudado mamando.

Uma hora após seu nascimento, meu marido chegou e foi só pegá-lo que ele se aconchegou em seus braços e dormiu. Meu pequeno milagre hoje já está com 1 ano e 3 meses e é superinteligente e saudável. Nunca teve nem gripe graças a Deus!! Sempre digo: quando Deus quer nada se torna impossível.  Esse foi meu relato do dia mais importante da minha vida!!!

DSC_0012

Obrigada, mamãe, por compartilhar esse momento! Você tem uma história bacana pra contar? Basta escrever para contato@maepirada.com.br e enviar uma foto sua com o(s) filhote(s)!  Vamos ficar muito felizes!

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook