Relato de parto, por Leticia Nascimento

Sempre quis ter filhos e minha ideia sempre foi de ter um parto normal, com o marido do lado e um(a) uma obstetra que fosse super a favor deste lado humanizado do parto pro nascimento do bebê.

No 3º mês de gestação encontrei a obstetra dos sonhos: simpática, humana, sincera, tranquila e a favor do parto normal. Em todas as consultas conversávamos sobre o ‘grande dia’ e ela sempre me apoiou nas ideias (marido junto, música, acupuntura) eu estava muito feliz e ansiosa pro meu parto, apesar do medo….  Mãe de primeira viagem, bate o medinho.

 

Fui viajar de férias, 15 dias de praia. Depois da viagem, numa das consultas a médica viu que tinha algo esquisito bem “na passagem” do bebê, estava com 8 meses já. Fizemos um exame e foi detectada uma infecção na pele (molusco), como era uma infecção externa e não dá nenhuma reação, eu não senti nada… Mas aí é que a coisa complicou: minha obstetra – decepcionada – disse que conversou com uma dermatologista e o parto normal seria arriscado porque as lesões na pele poderiam estourar (eram bolinhas) e contaminar o bebê no nascimento, mas pediu pra eu conversar com a dermato.

 

Fui à consulta, ela me explicou tudo e aí aconselhou o que eu mais temia: fazer cesaria! Ainda antes de sair do consultório ela me disse “nada é por acaso, se Deus te deu a chance de descobrir isso tudo antes do parto é pro bem de vocês”. Saí de lá chorando, e só o que eu sabia fazer era chorar! E o meu sonho, minha ideia linda de parto? Como grande defensora do parto normal entrei em “parafuso”…

Ainda procuramos outro Dermato ( eu e a obstetra) pesquisamos o assunto mas era arriscado, com a imunidade zero do bebê ao nascer o risco era muito grande.

 

Então na última consulta com ela decidimos (eu e o marido, que sempre esteve ao meu lado) marcar a data do parto, já que até o fato de entrar em trabalho de parto era arriscado. Ela inconformada de um lado, nós com medo do outro… Mas me garantiu que seria “o mais humanizado possível”.

 

Enfim, no dia 14/08/15 fomos para a maternidade. Estava nervosa, não dormi direito, a ansiedade tomou conta de nós, e eu com medo afinal nunca havia feito nenhuma cirurgia.

 

O desespero chegou de vez quando nos preparamos pra entrar na sala do parto… Eu tremia tanto! Mas minha obstetra segurou minha mão na hora da anestesia e falou que tudo daria certo, enquanto meu marido colocou música pra me acalmar exatamente como tinha pedido pra eles.

 

Naquele momento tudo o que eu queria era que meu Arthur nascesse bem e saudável, meu marido estava lá ansioso também. Aí as 11:48 ouvimos o som mais lindo do mundo: o choro do nosso bebê! Ele já estava lá saudável, bem e todo melecado hahaha!

 

Meu marido chorava de emoção e me dizia “ele nasceu, ele tá bem!” e eu chorava e agradecia a Deus por aquele milagre da vida. Ah sim, na hora que o Arthur nasceu tava tocando “It’s My Life” do Bon Jovi… Sim, ali naquele pedaço de gente estava a nossa vida a partir daquele momento, os corações batendo fora do corpo.

 

A obstetra colocou ele do meu ladinho logo em seguida (ela cumpriu a promessa do meu parto ser humanizado) e foi a melhor sensação do mundo, ver e sentir o nosso Arthur ali. Juntinhos pra sempre… Momentos depois ele tava lá comigo mamando e bem juntinho de mim, que sensação incrível!

 

Apesar da frustração nos primeiros dias e de ouvir coisas ridículas como “ah que pena, foi cesaria” “seu parto foi diferente mas ele nasceu bem né” era maravilhoso ver meu pequeno ali lindo e saudável. Aí percebi que independe o tipo de parto, porque o amor tava ali enorme e sem medidas naquele pedacinho de gente.

38b362e1-1240-49f3-a285-2339878f5667

Obrigada, mamãe, por compartilhar esse momento! Você tem uma história bacana pra contar? Basta escrever para contato@maepirada.com.br e enviar uma foto sua com o(s) filhote(s)!  Vamos ficar muito felizes!

Slide1

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook