Trigêmeos: quem não chora não mama!

Já contamos por aqui como foi a amamentação do nosso trio ternura!  Hoje vou falar sobre o malabarismo que fazíamos para dar mamadeira para os três bebês!

Os trigêmeos já saíram da maternidade mamando mamadeira, porque não tive condições de oferecer amamentação exclusiva. Cada um mamava mais ou menos três vezes por dia no peito e o resto era fórmula.

Nos primeiros meses de vida, a hora da mamadeira era um momento tenso, porque não havia adultos suficientes para cuidar de todos os bebês! Após a valiosa ajuda inicial da vovó, que não mora na mesma cidade, éramos só eu e o papai. Só chamávamos a filhota mais velha em caso de extrema necessidade.

Como fazíamos quando estávamos sozinhos? A gente sempre dava a mamadeira para quem chorasse primeiro. Aqui, meu amigo, quem não chora não mama. Então, quem mamava primeiro eram os bebês mais agitados. O caçulinha do trio – o mais calmo – ficava sempre por último, tadinho. Ele esperava numa boa, sem chorar! Já prometi que a primeira bicicleta vai ser dele!

Mas nem sempre foi assim. Várias vezes, choravam os quatro (incluindo a mamãe aqui). Então, um de nós acabava dando a mamadeira para dois ao mesmo tempo, sentadinhos no bebê conforto. Às vezes, fazíamos a “mamada automática”, ou seja, a mamadeira apoiada por almofadas. Ficávamos de olho, é claro. Mas isso foi só quando ficaram maiores!

Mamada automática

Mamada automática

 

Mas mamar não era problema. A parte mais dolorosa era fazer três bebês arrotarem em apenas dois colos! Quando eram bem pequenos, eu até segurava dois ao mesmo tempo, mas depois ficou impossível. Então a gente tentava fazer com que um ficasse quietinho no bebê conforto enquanto os outros dois eram colocados para arrotar. Na maioria das vezes, o caçulinha colaborava.

Mas tivemos vários episódios horríveis de engasgos e golfadas simultâneas. Desesperador você ter que escolher o filho que está engasgando menos. Na minha opinião, essa foi uma das piores fases. Depois que ficaram crescidinhos, seguravam as próprias mamadeiras, o que foi um marco nas nossas vidas!

IMG_5421

Momento independência

Da fase de recém-nascidos, confesso que não sinto saudades! Já deu! Foi muito sufoco com essa história de engasgo e arroto! Quando alguém fala que sente falta do filho recém-nascido, eu penso: “Eu, hein?! Tá doida?”. Recém-nascido pra mim só se for dos outros!!! Pra fazer bilú, bilú e devolver correndo pra mamãe!!!!

Slide4

Você também vai curtir:

Comments

comments

Author: Paola Lobo

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook